Blog Clinipampa

Você sabe o que é Glaucoma? Descubra os sintomas, tratamentos e causas

Notícias - 20 de Junho de 2018

Glaucoma é uma doença ocular causada pela elevação da pressão intraocular que resulta em lesões no nervo ótico e logo observa-se um comprometimento visual. Caso não tratado corretamente, pode levar à cegueira.

Comumente a doença pode estar presente e a pessoa não perceber, o que pode piorar o quadro e progressivamente uma lesão irreversível do nervo pode afetar o campo de visão.

O aumento da pressão intraocular acontece quando existe um desequilíbrio entre a produção de humor aquoso, ou seja, o líquido dentro do olho que fica entre a córnea e a íris, e sua drenagem. O possível desequilíbrio resulta no acúmulo de líquido dentro do olho, aumentando assim, a pressão intraocular e comprimindo as células nervosas do nervo óptico, o que pode levar à morte destas células.

Ressaltamos a importância de consultar um médico oftalmologista regularmente, tendo em vista que o diagnóstico precoce é essencial para o controle da progressão do glaucoma.

Os vários tipos de glaucoma

Glaucoma de ângulo fechado (agudo)

A glaucoma de ângulo fechado (agudo) acontece quando a saída do humor aquoso é subitamente bloqueada, originando um aumento rápido, doloroso e grave na pressão intraocular. Os casos de glaucoma agudo são de extrema urgência, diferente do que acontece com o tipo crônico da doença, onde a pressão ocular se desenvolve silenciosa e lentamente, danificando a visão aos poucos.

Glaucoma congênito

Como diz o nome, o glaucoma congênito é o tipo em que a criança já nasce com a doença, herdada durante a gravidez. Este tipo de glaucoma é considerado raro e quando descoberto e tratar imediatamente.

Glaucoma de ângulo aberto (crônico)

O tipo mais comum é o glaucoma de ângulo aberto (crônico) e tende a ser hereditário, mesmo que a sua causa seja desconhecida. O aumento na pressão ocular se desenvolve lentamente, onde a pressão elevada causa um dano permanente no nervo óptico, causando perda do campo visual.

Glaucoma secundário

Já o glaucoma secundário costuma ser originado principalmente pelo uso de medicamentos, como corticosteróides, pelos traumas e por outras doenças oculares e sistêmicas.

Sintomas e diagnóstico

No início, a glaucoma é uma doença assintomática. Nas fases mais avançadas acontece a perda visual, comprometendo primeiro a visão periférica. O campo visual tende estreitar progressivamente até transformar-se em visão tubular. A doença é mais frequente a partir dos 40 anos, mas pode ocorrer em qualquer idade, de acordo com a causa que provocou a pressão intraocular mais elevada.

De forma genérica, estes dois sinais merecem atenção: pressão intraocular acima da média e alterações no nervo ótico, que podem ser percebidos no exame de fundo de olho. Outros fatores também podem confirmar o diagnóstico.

Dentre os pacientes de risco estão os negros que têm maior propensão a desenvolver pressão alta, portadores de diabetes e pessoas com mais de 35 anos. Cerca de 6% das pessoas com glaucoma já tiveram outro caso na família, o que torna o histórico familiar importante para o diagnóstico.

Para saber mais sobre o tratamento e evitar a progressão de um possível glaucoma, o ideal é consultar com regularidade o oftalmologista, principalmente a partir dos 35 anos. Lembrando que o diagnóstico precoce do glaucoma é fundamental para o controle da doença.

Galeria de Imagens


Outros posts recentes