Blog Clinipampa

Nutrição Comportamental - A nova área de uma nutrição diferenciada e especializada

Notícias - 1 de Fevereiro de 2018

Assistimos todos os dias, através das mídias, que os temas de alimentação e nutrição estão cada vez mais em evidência, as informações estão mais acessíveis para todos (embora nem todas cientificamente comprovadas) – mas, o lado restrito da nutrição conservadora – com alimentos classificados em saudáveis e não saudáveis – ditos “bons ou ruins” – persiste por anos. O prazer em comer, foi esquecido, e por muitas vezes está associado ao sentimento de culpa.

Em contrapartida, índices de brasileiros acima do peso e obesos continuam a crescer, a obesidade infantil hoje – é considerada uma pandemia mundial – e todas as doenças crônicas com ligação direta pelo excesso de peso – também aumentam dia a dia.

Para justamente contrapor este cenário, surge a NUTRIÇÃO COMPORTAMENTAL, uma nova abordagem científica e inovadora no campo da Nutrição. Aspectos fisiológicos, sociais e emocionais são avaliados e tratados com o objetivo primário de promover a mudança de comportamento do indivíduo no modo como se alimenta.

Alguns pilares dessa nova nutrição são baseados na forma de como se come, sendo tão ou mais importante do que simplesmente o que se come. A orientação nutricional é fundamentada em avaliação e estratégias de ACONSELHAMENTO NUTRICIONAL. Técnicas de comer intuitivo, comer com atenção plena e competências alimentares possibilitam uma mudança efetiva e consistente do padrão de comportamento alimentar.

Precisamos enxergar que todos os alimentos podem ter espaço em uma alimentação saudável, respeitando leis de quantidades e frequências, buscando sempre o equilíbrio e individualizando cada história de vida com todos seus fatores – culturais, sociais e emocionais.

É importante salientar que os indivíduos só alteram seu comportamento quando estão preparados. Devemos considerar que a mudança de comportamento não acontece pela educação, nem pela persuasão, muitas vezes não falta somente “força de vontade” e “vergonha na cara”. Não podemos ignorar o quanto o ambiente influencia o comportamento, muitas vezes é necessário modificar hábitos que impedem a mudança.

Nosso objetivo é defender uma orientação nutricional que não se baseia em uma “DIETA”; que o peso não é um comportamento e portanto; não deve ser o foco de um tratamento ou aconselhamento nutricional (o peso é sempre uma consequência).

 

“Comer é mais do que jogar lenha na fogueira ou abastecer um carro. Comer é mais do que escolher um alimento e dar para uma criança. Comer e dar de comer reflete nossa atitude e relacionamento com nós mesmos, com os outros e com as nossas histórias. Comer tem relação com autorrespeito, nossa conexão com nossos corpos e compromisso com a vida.”                (EllynSatter, 2007).

Angela N. Knorr – Nutricionista – CRN 9886

Especialista em Nutrição Clínica e Estética
Pós-graduanda em Saúde e Bem estar
Pesquisadora do tema: Nutrição Comportamental – com foco em Reeducação Alimentar

Galeria de Imagens


Outros posts recentes